Siran
Notícias

04/07/2019- SIRAN espera bons negócios na Feira Genética


A 60ª Expô Araçatuba terá neste ano mais uma edição da Feira Genética, que começou em 2018, e vai reunir animais melhorados de fazendas de toda a região. No ano passado, a feira rendeu bons negócios e a expectativa da diretoria do SIRAN (Sindicato Rural da Alta Noroeste) é que o resultado se repita nesta edição. Para 2019, a Feira vai contar com vários criadores, que irão apresentar na Expô exemplares que demonstram o que há de melhor em suas seleções genéticas. A expectativa é superar o volume de negócios realizados no ano passado.

De acordo com o presidente do SIRAN, Fábio Brancato, um dos destaques deste ano será a raça bovina Araguaia, criada pelo araçatubense Raul Almeida Moraes Neto. As raças tradicionais, como Nelore, Brahman e Senepol, que são exportadoras de genética, também estarão na feira. Todos são animais com grande potencial genético.

Brancato lembra que, em 2018, a Chin-Chinelo Senepol ficou bastante satisfeita com as comercializações realizadas durante a Expô. “O Senepol estava lá com amostra do gado e de produtos. Neste ano, a raça Araguaia estará na Expô também com uma amostra. Nós teremos na parte de ovinos, muitos exemplares também com o objetivo da exportação de genética”, completa. “Hoje, nós temos que nos preocupar com o que vamos levar para a fazenda. Aquele touro que vai servir, aquele sêmen que vai ter um melhoramento do meu plantel como um todo. Atualmente, somos muito fortes nisso”, acrescenta.

Ainda segundo o presidente do SIRAN, a Expô Araçatuba segue uma tendência de várias feiras no País, reduzindo o número de animais expostos, mas melhorando sua qualidade. “A genética mostra a realidade da propriedade. Você está levando a melhor genética para a sua propriedade. A realidade do País hoje são animais funcionais”, finaliza.

De acordo com a zootecnista Daniele Marques Almeida, organizadora da Feira Genética, os animais que estarão na Expô são de elevada produtividade. “A parte funcional dos animais é o essencial, embora algumas fazendas também agreguem a caracterização racial, como costela comprida, comprimento corporal, peças de musculaturas longas, que trazem melhor rendimento de carcaça”, afirma.

“Os animais estarão expostos nos pavilhões e em baias individualizadas ou em grupo, todos soltos, sempre pensando no bem-estar deles e na sustentabilidade. Como os animais estarão fora do seu habitat, em um lugar onde terá barulho, a gente faz com que eles fiquem acomodados da melhor forma possível no recinto”, completa a zootecnista.

Além de serem expostos, os animais também podem ser comercializados durante a Feira Genética, que será realizada entre os dias 6 e 14. A entrada deles será permitida até o dia 9, podendo permanecer até o fim do evento, conforme disponibilidade dos criadores.
Fonte: Marcelo Teixeira

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail e receba novidades