Siran
Notícias

02/10/2017- Produtores de Buritama aprendem sobre casqueamento e ferrageamento


Os cascos dos cavalos crescem constantemente e por isso merecem cuidados regulares. Para orientar os produtores de Buritama sobre o assunto, o Senar / Faesp /Siran promoveu de 25 a 29 de setembro um curso de casqueamento e ferrageamento. As aulas aconteceram num espaço do recinto de rodeios da cidade e contou com o apoio da Prefeitura de Buritama e Casa da Agricultura. 

O instrutor do Senar Joel Rodrigues da Silva, explica que o casqueamento é fundamental para prevenir danos nos cascos dos cavalos, tais como rachaduras e quebras. “O casco é como a unha humana. Quando não se anda muito com o cavalo ou ele fica em espaços pequenos, o casco cresce demais. Quando fica em grandes pastos o desgaste é natural. O recomendado é realizar o procedimento de 35 a 40 dias”, destaca Silva.

Ele também explicou como prevenir um dos problemas mais comuns nessa região do animal: a broca. É como se fosse um fungo no casco do cavalo e que pode se desenvolver por causa de sujeira, principalmente, de tanto pisar em umidade. O que mais previne e cura esse mal é a limpeza diária do casco, com um instrumento chamado lupa.

Quanto ao ferrageamento, contribui para dar mais equilíbrio ao animal e favorece a saúde do animal, uma vez que ele terá menos dores nas articulações, principalmente se o animal for utilizado em esportes ou em asfalto.

O participante Fábio da Silva Santarém trabalha em um haras, em Buritama, e disse que apesar de já conhecer as técnicas, as orientações vão ajudar muito no dia a dia. “Eu sabia a teoria, mas não a prática. O curso foi uma oportunidade para praticar e vi o quanto facilita e é bom cuidar da tropa. Vamos cuidar com mais zelo agora, com mais certeza do que estamos fazendo e não corremos o risco de machucar o animal”, conta Santarém.

“É bom o aperfeiçoamento, sempre tem coisa nova que não se sabe. Gostei das orientações sobre ferrageamento, a pregar certo, e sobre o aprumo do animal. O instrutor explica bem, com facilidade e tem muita paciência”, disse Reinaldo Terdon Alfredo, outro participante e produtor rural de Buritama.

 

Fonte: Micheli Amorim - Assessoria de Comunicação

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail e receba novidades