Siran
SIRAN

O Siran

O Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran) foi criado em 25 de outubro de 1942, do pioneirismo dos produtores rurais, responsáveis direto pelo desenvolvimento da cidade e que tinham uma visão do futuro. Inicialmente, o grupo formou a Associação de Invernistas e Criadores da Alta Noroeste, com a finalidade de constituir uma sociedade para a defesa dos interesses da classe, tendo sido então escolhida, por aclamação, a diretoria liderada por Carlos Soares de Castro.
 

Após um mês, o grupo percebeu que deveria ampliar o raio de atuação e não podia representar somente a pecuária, mas também o setor agrícola.  Por isso, em 8 de novembro de 1942, foi fundada a Associação Rural da Alta Noroeste (Aran), mantendo esta denominação até 1964, na gestão de José Ferreira Maia (Juquinha), quando foi percebido que a entidade poderia ter mais poderes e precisava avançar de acordo com os novos rumos do país.

Com isso,  aquela associação que começou como grupo de invernistas se transformou no Siran, entidade sólida com objetivo de ampliar a representatividade e defesa dos setores da agropecuária. O Siran foi efetivamente reconhecido em 1965, mais precisamente no dia 28 de maio, pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, no início da gestão de Orlando Tedeschi. Nessa época, a entidade estava estabelecida em sede própria, na rua Carlos Gomes, adquirido na gestão de Donald Wilfred Strang (1959-1960).

De lá para cá, o  sindicato vem desenvolvendo um trabalho de união entre os produtores rurais, somando esforços para defender a classe produtiva, no qual sempre fez com sucesso.  Na década de 1970, durante a gestão de Manoel Afonso de Almeida (1973-1975), foi adquirido um terreno, na rua Oscar Rodrigues Alves, para que construir uma nova sede, do tamanho e importância do sindicato.  As obras começaram somente em 1984, na gestão de Birajá Soares Vasconcelos, sendo o edifício inaugurado em 1987, na gestão do presidente Carlos Olinto Brandão.

Atualmente, o Siran representa  produtores de Araçatuba, Santo Antônio do Aracanguá, Guararapes, Nova Luzitânia, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal e Rubiácea. A entidade é uma referência na prestação de serviços para a classe produtiva rural, quer seja na área de assessoria e orientação, bem como de representatividade na luta dos interesses de seus associados. 
Cadastre seu e-mail e receba novidades