Siran
Notícias

11/07/2022- Produtores rurais aprendem a cercar APP em programa de florestamento


Na Fazenda São Pedro, em Piacatu (SP), 16 produtores rurais estão aprendendo a fazer uma cerca no entorno de uma área de preservação permanente (APP). Eles selecionam as ferramentas e materiais necessários, demarcam o aramado, abrem a cova, colocam esticadores, o arame, os mourões, balancim e trama, e finalizam o aterramento.

As ações nos dias 11 e 12/06 fazem parte do quinto dos nove módulos do programa “Florestamento – Recomposição da Área de Preservação Permanente” (APPs). Desde março, eles se reúnem duas vezes por mês para aprender desde a construção do viveiro, passando pela formação de mudas de espécies nativas por meio de sementes, até o plantio das plantas em APPs para projeto de restauração ecológica.

A realização é do SIRAN (Sindicato Rural da Alta Noroeste), em parceria com o Senar-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – São Paulo), com apoio da prefeitura e da Casa da Agricultura. O programa vai até novembro, totalizando 168 horas de atividades. Este quinto módulo tem duração de dois dias.

O instrutor André Moraes Gonçalves, que é engenheiro agrônomo e especialista em restauração ambiental, explica que o proprietário faz o viveiro, o Senar-SP envia as sementes e os participantes produzem as mudas. Depois de aproximadamente 8 mil mudas formadas, cada participante recebe de 400 a 450 mudas para serem plantadas. “O instrutor acompanha todas as fases do programa, inclusive o plantio das mudas. Posteriormente, técnicos verificam se o plantio foi devidamente feito. Nesse meio tempo, os alunos aprendem a preparar o solo, a monitorar de indicadores ecológicos, manejar a área de plantio das árvores – incluindo controle de formigas – e implantar viveiros das mudas, entre outras situações”, explica Gonçalves.

O programa

O Senar-SP lançou o programa “Florestamento – Recomposição da Área de Preservação Permanente” em fevereiro deste ano, em parceria com 24 Sindicatos Rurais de todo o Estado de São Paulo. O objetivo é capacitar pequenos produtores e trabalhadores rurais na produção de mudas e recomposição de APPs. Estas áreas são protegidas pela Lei n. 12.651/2012 (Novo Código Florestal Brasileiro) e têm a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, a fim de proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas.

Quando o produtor faz o Cadastro Ambiental Rural (CAR) ele já fica sabendo se seu terreno tem uma APP e se é necessário fazer a recomposição vegetal com árvores nativas. É o que explica Marco Antônio de Oliveira, chefe-adjunto da Divisão de Formação Profissional do Senar-SP. “Uma APP fica junto à margem de um rio, por exemplo, ou um topo de morro. É um local onde não pode haver atividade agrícola”, diz.

Para que um produtor rural possa continuar cultivando em uma propriedade é obrigatória a adoção de boas práticas de conservação de solo e água, uma vez que ela possui diversas fragilidades ambientais e demandam manejos diferenciados. Por essa razão, é de extrema importância para que os produtores rurais plantem árvores onde houver necessidade de recomposição vegetal em suas propriedades e garantam a regularidade ambiental e a continuidade da sua agricultura.

“É um projeto muito robusto, um desafio muito interessante. Com o cumprimento de todos os procedimentos propostos no programa e considerando o número total de participantes nos 24 sindicatos, chegaremos ao final do ano com mais de 156 mil novas árvores plantadas em Áreas de Proteção Permanente”, ressalta Oliveira, que acrescenta que a expectativa é de que no ano que vem essa iniciativa atinja mais sindicatos rurais um número muito maior de produtores.
Fonte: Marcelo Teixeira

Compartilhe:

Cadastre seu e-mail e receba novidades